ESG: Uma responsabilidade corporativa e propositiva.

Talvez um dos termos mais discutidos atualmente nas empresas, seria o conceito e aplicação do ESG, envolvendo ambiente, questões sociais e governança. A inserção deste conceito, está em superar as questões regulatórias. Na verdade, muito mais do que isso. A grande tendência e que vem tomando escala é a criação de um ambiente propositivo, principalmente, na maioria das organizações no “S”(social), considerando diversidade, segurança, saúde e principalmente bem estar.

Neste momento, uma parte dos departamentos de recursos humanos ainda estão somente focados em  cumprimento de normas regulamentadoras, e tarefas que há muito tempo executam, como folha de pagamento, gerenciamento de cartão ponto, etc. Além disso, muitos serviços e produtos que adquiriram em saúde e bem-estar, geraram pouco valor na prática e muito menos comprovação de ROI.

Aqueles que conseguiram implementar ações, dentro do “S”, principalmente focaram em diversidade e inclusão. Provavelmente o próximo tema a ser discutido/implementado como responsabilidade corporativa, é saúde, e bem estar, mas com serviços muito diferentes do que o mercado já vem oferecendo, e com outros critérios de leitura e performance.

Empresas que não movimentarem de uma forma propositiva, será comprometida com relação ao mercado, como prestadora ou fornecedora de serviços. Possível que esta movimentação seja iniciada por empresas com metas públicas, com capital aberto, porém empresas que já nascem com este conceito em seu DNA, como as startups, terão uma grande vantagem competitiva na criação de um ambiente de fato focado em capital humano.

Os determinantes sociais da saúde

Considerando ainda o “S”, ou talvez até uma adição que venha a ser feita, considerando especificamente os temas saúde e educação no ESG, os determinantes sociais da saúde (SDOH) é o principal tema que envolve o status de saúde física e mental de uma pessoa. São condições não especificamente clínicas, mas sim econômicas e ambientais, que impactam diretamente ou indiretamente sobre a saúde de um indivíduo, como acesso a transporte, alimentação, educação, moradia,renda familiar entre outros. Ele é o principal pilar dentro da atenção primária à saúde. As análises de SDOH mostram que essas variáveis influenciam inequidades nas condições de saúde, e tem um efeito em massa sobre os desfechos em saúde populacional.

Enquanto o cuidado prestado em instituições de saúde pode contribuir entre 10 a 20% nos resultados em saúde, o restante é impactado por SDOH. Ou seja, existe uma clara necessidade de inserir as questões sociais como core estratégico dos negócios, sendo inclusive necessário sua mensuração, avaliação e controle.

Como incluir a pauta nas empresas

Conforme colocado pelo colega Gabriel Ogata: “A pauta tem que ter um dono dentro da organização para garantir que seja efetiva. Pode ser um comitê de sustentabilidade, por exemplo, com pessoas de diversas áreas. Não basta criar um produto ou uma linha de produtos mais verdes, sustentáveis ou somente apoiar um projeto social. Estamos falando aqui de gestão, governança, controles e avaliações, de inserir as questões ambientais e sociais no cerne da estratégia dos negócios e em todos os processos. Tudo isso precisa ser medido, avaliado, controlado e melhorado. Para tanto, existem as políticas, os procedimentos, as regras, os códigos de condutas, certificações e o compliance nas empresas.”

Quando iniciar a discussão sobre ESG nas empresas

Conforme comentado acima, o tema já tem uma relevância indiscutível, e já faz parte do cronograma de grandes empresas e até pequenas e médias que já tem em seu DNA. A mudança do mindset e tarefas do dia-dia, principalmente nas lideranças de todos os departamentos da empresa, já deveria ter iniciado. Uma revisão dos serviços e prestadores que há muito tempo são consumidos pelas empresas, deveriam passar por uma revisão e serem avaliados se há um fit de competências com esse cenário atual, e a questão analítica para obtenção de ROI será fundamental em um cenário cada vez mais competitivo, criativo e principalmente propositivo.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *