Painel de controle dos custos em saúde corporativa. Como estruturar.

No último artigo discutimos brevemente sobre a importância de identificar os principais serviços e produtos que estariam relacionados a saúde nas empresas, tanto em benefício quanto ocupacional. Neste artigo iremos detalhar como estruturar um painel, onde haja confluência dos custos de todos esses serviços.

Hoje, grande parte das empresas de médio e grande porte, utilizam softwares ERP’s, que gerenciam dentro do departamento de recursos humanos, desde folha de pagamento, cartão ponto e outras funcionalidades, porém concentram também muitas informações ligadas a saúde dos seus colaboradores. Alguns desses softwares trazem módulos específicos, mas a grande maioria conflui todas as informações já citadas em um mesmo “bloco”. O início da construção desse painel, envolve organizar e separar as informações relevantes, como despesas assistenciais, que são trazidas pelas próprias operadoras de saúde, dados de saúde populacional, fatores de risco presentes naquele ambiente ocupacional, número de colaboradores afastados e os principais motivos do afastamento, absenteísmo, entre outros.

Este primeiro passo, é fundamental para o alicerce do painel de controle de custos, pois irá deixar muito evidente números e valores referentes aos indicadores acima. A partir daí, é construído um framework, na mesma plataforma, ou em outra, dependendo da flexibilidade da ferramenta e permitir a estruturação dessas informações.

Essa estruturação, com os dados, mesmo que poucos existentes, já permitirá a criação de um fluxo de trabalho, para que continuamente haja uma alimentação mais automatizada, seja por uma API (Application Programming Interface), ou mesmo um colaborador que esteja envolvido neste processo.

Para uma visualização mais prática do que foi descrito acima, segue um exemplo informações a serem coletadas:

  1. Relatórios dos exames periódicos;
  2. Relatórios dos sinistros enviados por operadoras de saúde;
  3. Dados do Dataprev, referentes ao número de afastados, e principais eventos que geraram afastamentos
  4. Número de absenteísmo por setor da empresa.

Esses dados serão inseridos em campos dentro da plataforma elencada, de maneira estruturada, ou seja, que possa gerar alguma visão mais clara dessas informações, e também que possam associá-las a números, da seguinte maneira:

  • Correlação do número de afastados com massa salarial;
  • Despesas assistenciais mais elevadas, e o custo referente a estas, que impactaram no reajuste do plano de saúde
  • Custo do absenteísmo referente a média salarial daquele setor ocupacional
  • Custos de headcount do SESMT, e dos exames complementares em saúde ocupacional

 

Esta seria a maneira mais simples e estruturada para iniciar a estruturação do painel de controle de custos. Dependendo da maturidade da empresa neste gerenciamento, pode inclusive haver um maior nível de detalhamento mais estruturado, onde já é possível extrair alguns insights importantes para tomada de decisão, conforme ilustra o gráfico abaixo.

Nos próximos artigos, iremos esclarecer alguns ítens do gráfico acima, bem como a mensuração de ROI de todas as iniciativas em saúde corporativa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *