Plataforma para gestão do FAP

O fator acidentário de prevenção, um índice que mensura a performance das empresas sobre o tema segurança e saúde no trabalho, passou a ter um papel importante na carga tributária, a partir de 2010, como uma contribuição previdenciária. Pouca atenção foi dada naquele momento, pois acreditava-se que pouco impactaria os resultados financeiros de algumas empresas. Já no curto prazo, 2 anos após sua homologação, quando foi demonstrado os primeiros números, grande parte das empresas com risco ambiental do trabalho 2 ou 3, começaram a receber suas “penalizações”, por não dar atenção a acidentes do trabalho, gerenciamento do número de absenteístas e afastados, rotatividade entre outros índices que impactam este indicador, viu-se um cenário muito diferente do previsto.
Muitas empresas então decidiram levar esta demanda para departamento de recursos humanos, contábil ou jurídico, porém sem a clara definição de qual seria a metodologia ou processo na qual haveria uma otimização dessa gestão sobre o FAP.
Dez anos após, ainda temos um cenário onde grande parte das empresas impactadas por não conseguir redução no indicador, e ainda um pouco distante de trazer uma solução clara e bem definida.
Seguem aqui, dois pontos essenciais para gerenciamento do FAP:
1 – Inclusão de um modelo de cuidados em saúde do trabalho, não focando somente em entregar o que a legislação vigente pede, mas sim que possa realizar o mapeamento e ações durante toda jornada assistencial e ocupacional dos trabalhadores, focando em dar suporte e assistência, com objetivos específicos em gerenciamento de absenteísmo e afastados, bem como realizar a reestruturação dos programas afim de melhorar desfechos clínicos

2 – Adoção de plataforma para gerenciamento do FAP, que irá buscar todas as informações no DATAPREV sobre todo histórico de fatores que impactaram o índice nos anos prévios, gerando um diagnóstico, e estruturar todo o processo administrativo durante a jornada do colaborador, como exemplo nos acidentes do trabalho, com a abertura do CAT, realização de perda dos prazos, e elenque as documentações necessárias para tais ações.
Com a inclusão dessas ações, as empresas poderão estar melhor posicionadas entre suas concorrentes dentro do mesmo grupo econômico (CNAE), e utilizar o orçamento dessa economia gerada para seu crescimento e melhorias. cia e conceder ou não os benefícios, para que gere um processo de contestações, sem perda.

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *